Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Ponta Delgada

Tenho tido tão pouco tempo para desenhar a cidade que aproveito qualquer bocadinho. Enquanto esperava que o meu filho desse uma voltinha com o seu barco telecomandado num tanque em frente ao forte de São Brás atrevi-me a começar um desenho... afinal as pilhas precisavam de recarga e tive de ser muito rápida...

 (caneta caligráfica e marcador acrílico)                                                                                                                           |«in situ»|

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Em RN


Quinta do Ferro… o “Antes”




Oliveiras e Muralhas

Um dos meus lugares favoritos, uma rua de Oliveiras dentro do Castelo com vista sobre Torres Vedras...

Desafio 74


Lisboa de Roque Gameiro


Escadinhas de Santo Estevão e Beco das Cruzes : Lisboa
 

Florestas Tropicais no Oceanário





Novo Ano Chinês

 A menina chinesa que queria tambem desenhar e a vendedora de caixinhas de laca foram os meus desenhos no Martim Moniz no inicio das comemorações do Ano do Galo de Fogo. Leonor Janeiro

Alfama

Mais um dos infinitos recantos que se pudesse desenhava incessantemente.
Este é entre a Rua da Galé e as escadinhas de S. Miguel.
Penso que não constava da lista do desafio. Tenho que lá voltar com mais tempo!


Ano Novo Chinês


No Museu do Oriente

Há fantásticas peças à nossa espera para serem desenhadas, no Museu do Oriente.

In-shell-side_ Cine-Teatro Avenida

Os desenhos possíveis, num espetáculo da Companhia de Dança Contemporânea de Évora, com um excelente trabalho de luminotécnica, mas que se revelou pouco apropriado para um desenho de grande rigor.



A parede

   

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Rabiscos

Nem sempre dá para fazer desenhos aos pares, em baixo ficaram rabiscos de grafismos, saudades dos dias quentes...
Torres Vedras, entrada do Castelo (cortada à esquerda) e vista sobre a cidade.

Vedação na Quinta do Ferro

Desde a primeira visita que esta vedação queria entrar para o meu caderno e acabou por ficar demasiado forçada. As verticais tombadas, os cabos elétricos estragando a composição, a coincidência do ângulo dos cabos com o skyline...
Precisava de uma prancheta maior, de mais tempo e de algumas medidas, mas continuo achando que esta vedação se presta e merecia melhor.
A composição, a diversidade de materiais em layers sobrepostos, o ritmo que acelera e atrasa... parece um "catálogo da Quinta do Ferro"
Algum artista mais apto que se atire ao tema.

Ano Novo Chinês

Foi no domingo passado que me juntei pela segunda vez aos sketchers, em Lisboa. Desta vez viemos ver, e mais que isso desenhar, as festividades do Ano Novo Chinês. Interessante como os chineses têm uma cultura tão peculiar e diferente da nossa, merecendo assim um destaque com vários sketches no meu diário.
Primeiro desenhei o ambiente à minha volta: o movimento das pessoas pela praça, as diferentes culturas, as decorações em tons quentes tipicamente chinesas,...
Desenhei também em segundo plano uma silhueta do Castelo de São Jorge e as casas que conseguia avistar ( um conselho de um sketcher que conheci).




Mais tarde captei certos detalhes que me inspiraram, como estes "balões" vermelhos pendurados no bambu e o Galo, logo à entrada da praça.

Muito rapidamente, tentei "sketchar" um indiano que vendia sombras e chapéus, mas o movimento era tanto e circulavam tantas pessoas à minha frente, que resultou num traço mais solto, com o mínimo de pormenor.

Gostei muito deste encontro, dada a minha paixão pelo Oriente e também pelas pessoas novas que conheci e me inspiraram com os seus desenhos. Bom ano chinês!

Quinta das Conchas





Hoje na manhã ensolarada e fria das Conchas.

ATENÇÃO: DESAFIO 74! A IMPORTÂNCIA DA ETIQUETA!

A equipa dos desafios alerta os envolvidos no desafio 74 para as regras de participação nesta atividade mensal, nomeadamente:

“7. Ao publicar o desenho para o desafio, é obrigatória a colocação da respectiva etiqueta (exemplo: Desafio67). Sem traços nem espaços.

8. Os desenhos publicados sem etiqueta NÃO serão considerados.”



A colocação da etiqueta correta, além de regra, também permite à equipa determinar com maior facilidade o desenho mais comentado. Obrigada pela vossa colaboração!

Verifiquem, pois, a etiqueta deste mês: Desafio74!

A equipa dos desafios

(este desenho já foi publicado e não entra no desafio deste mês, serve apenas para ilustrar este importante alerta)


Azulejos do bairro da Beira-Mar

A Beira-Mar é uma das zonas mais típicas de Aveiro. É um antigo bairro onde se situavam as casas dos pescadores, pequenas e estreitas habitações feitas de adobe, em que a fachada revestida de azulejos é constituída de apenas uma porta e janela. Atualmente já se vêm muitas destas casas com um segundo andar ou com uma fachada maior, por se ter juntado à vizinha do lado, exigências de conforto atuais dos seus donos! Mas as fachadas têm sempre este elemento peculiar de serem revestidos a bonitos azulejos, pelo menos os mais antigos, com desenhos bonitos e complexos, com aquele cariz artesanal e com uma bordadura de remate nas bordas da fachada e em redor das portadas... lindo! Apesar de que algumas fachadas já não são muito bonitas, foram renovadas com azulejos industriais sem piada nenhuma e o seu encanto perdeu-se. Mas este fim de semana resolvi dedicar algum tempinho a registar estas belezas, fica aqui o registo de alguns que me chamaram mais a atenção (confesso que o último já foi escolhido pela facilidade pois estava sem tempo para mais ;) )

 

Um colega apanhou-me em pleno registo :) (foto de Pedro Moreira)


Birthday Sketching 2017


       Cá vai a 2ª parte dos desenhos de um aniversário do dia 13 de Janeiro